CASA CIVIL INSTALA GT SOBRE REFORMA TRABALHISTA. CNS PARTICIPA ATIVAMENTE.

Eliseu Padilha, Ministro da Casa Civil da Presidência da República convidou as principais confederações patronais do país, para reunião de instalação do Grupo de Trabalho. O encontro aconteceu no Palácio do Planalto, em Brasília, na segunda-feira, 31 de julho.
A Confederação Nacional de Serviços – CNS esteve representada pelo seu Presidente, José Luiz Fernandes. Além de parabenizar pela iniciativa do Governo, em reunir as lideranças empresariais, o Presidente enfatizou que “a CNS vai dar todo o apoio para divulgação ampla das mudanças da legislação que modernizam as relações de trabalho”.

A seguir, texto divulgado pela Assessoria de Comunicação da Casa Civil:

A Casa Civil instalou na segunda-feira (31) o grupo de trabalho criado para coordenar a divulgação da modernização trabalhista. O objetivo do grupo é esclarecer aos trabalhadores e aos geradores de emprego as mudanças na legislação, que entram em vigor em novembro.
Os trabalhos terão duração de 180 dias. Participarão das reuniões representantes do Executivo, do Legislativo e da Justiça do Trabalho.
“O grupo receberá contribuições de especialistas do setor, de juristas, de empresários e, obviamente, de trabalhadores. É um grupo que contempla basicamente todos os espectros da sociedade. É preciso que a sociedade entenda, se adeque e se prepare para a nova lei trabalhista. Há muitas oportunidades. É preciso que elas sejam todas absorvidas pela sociedade brasileira”, explicou Bruno Dalcolmo, assessor especial da Casa Civil que coordenará o grupo.
Além de assessores da Casa Civil, participam do grupo representantes da Secretaria de Governo, da Secretaria de Comunicação Social, do Ministério do Trabalho, do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, da Justiça do Trabalho e da Câmara dos Deputados.
Também na segunda-feira, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, recebeu representantes de confederações de diferentes setores da sociedade. Ele colocou o grupo de trabalho à disposição para esclarecer dúvidas e pediu apoio para a mensagem chegar aos trabalhadores de forma clara.
Um dos representantes da Justiça do Trabalho no grupo é o juiz Marlos Melek, do TRT da 9ª Região. Para ele, a atuação junto à Casa Civil vai facilitar o esclarecimento da lei. “O grupo de trabalho serve para tirar dúvidas e mostrar exatamente qual foi a intenção de quem escreveu a lei. (…) Para que não existam interpretações trincadas e erradas do que a lei quer dizer”, disse.
ASCOM/Casa Civil